Teia de Aranha

Teia de Aranha

Por: Mariana Aquino

Faz tanto tempo que não escrevo que nem lembro mais sobre o que eu escrevia. Mas de repente me vejo com tempo e vontade de escrever, então vamos lá. Sou mulher, mãe e trabalhadora, não necessariamente nessa ordem. Meu tempo livre e de reflexão é o que demoro pra ir de casa pro trabalho e voltar, de pé ou sentada, no trem. Acho que as idéias estão no chão, no ar, numa página de livro, numa conversa ouvida pela metade. Acho também que uma boa idéia não basta para criar um bom negócio, mas é um bom começo. Li uma vez que se você acha que tem uma boa idéia, pode ter certeza que tem pelo menos cinco pessoas pensando a mesma coisa que você. Então não há que ter medo de contar uma idéia, porque é mais importante por em prática. Listas de idéias interessantes não faltam, e como a Maricotinha (eu) sempre tem opinião sobre tudo, aqui vai minha lista de idéias que gostaria de ver serem postas em prática:

1. Comida de bebê caseira, entregue em casa duas vezes por semana. Comida sempre fresquinha, embalada a vácuo. Pra ser consumida em três dias. Sabores, cores, praticidade e economia, sem deixar de lado a qualidade.

2. Cafeteria com área de jogos. E uma sala polivalente para fazer cursos, workshops. Se o foco for na comida, tem que ter um monte de amenidades para as mamães esquecidas: fralda vendida por unidade, comida pronta pra várias idades, brinquedinhos. Também pode vender a comida do item anterior e ter um espaço de lojinha para vender coisas feitas por outras mães.

3. Aplicação para o celular que mostra lugares (lojas, parques, museus, restaurantes, etc) perto de onde você está que tem atividades para crianças / famílias, ou que estão adaptados. Tipo foursquare para mães. Você pode ver as listas das suas amigas, criar suas próprias listas, votar e dar sua opinião sobre lugares já existentes. Compartilha a informação com suas amigas, faz planos de viagem e procura lugares para se hospedar em uma viagem com base nessa informação. Prático e rápido.

4. Balada para bebês. Ok, não tem nada de novo nessa idéia: local, volume e repertório adaptado para o público infantil. Mas eu acho que toda cidade precisa ter um evento assim, pra apresentar a boa música para os pequenos e libertar as mães da tirania da Galinha Pintadinha.

5. Kits de jogos “do-it-together”, pra você que não tem tempo de preparar atividades diferentes para fazer com seus filhos. O kit vem pronto, com todo o material pra fazer aquela atividade. Você paga por mês e recebe um, dois ou quatro kits por mês, dependendo da sua disponibilidade para brincar. Os jogos são adaptados para a idade das crianças.

6. Clube de ciências para meninas. Atividades extra-escolares para meninas entre 8 e 15 anos relacionadas com ciências e criatividade. Meninas e meninos aprendem de forma diferente. As profissões científicas são as que menor diferença tem entre salários de homens e mulheres, mas ao mesmo tempo são as que as mulheres estão menos representadas. Incentivar as meninas a gostar de ciências simplesmente atrasa a escolha, até que elas tenham idade para decidir melhor o que querem ser quando crescerem. Que elas gostem de matemática, física, ou sabem como programar uma página web não vai impedi-las de serem atrizes ou escritoras ou modelos no futuro.

7. Kit para transformar um hotel qualquer eu um hotel apto para famílias (family-friendly). As famílias modernas gostam de viajar para qualquer lugar, não só o típico resort com animação. O hotel compra o serviço e tem acesso a um pool de baby-sitters, jogos adaptados por idades, decoração para os quartos, guias com atividades infantis, descontos em atividades na cidade, etc.

8. Essa é só pro Brasil, porque aqui é uma prática mais comum: cooperativa educativa. Grupo de pais reunidos, contrata professora tipo Waldorf, Montessori ou outro esquema de escola livre, aluga uma casinha com quintal e toma as rédeas da educação das crianças. Porque, né, babá é legal, mas eu sei que elas passam o dia todo falando com não sei quem no telefone.

Agora que já está no papel, espero liberar espaço na caixola para novas idéias. Até aparecer uma que eu possa por em prática.

E você, que idéia gostaria de ver sair do papel?

 

Mariana, advogada filha da Puc, largou tudo para conhecer o mundo. Parou na primeira estação (Barcelona) e lá ficou, faz já 11 anos. A maternidade é a sua forma de mudar o mundo.