Sobre maternidade, coragem e sonhos

Sobre maternidade, coragem e sonhos

Por Laiz

Como falar de maternidade sem colocar um milhão de frases feitas e repetidamente faladas por nós monotemáticas mães?

Saindo dos clichês de amor de mãe, “maior do mundo”, “amor incondicional” e tantos outros, hoje eu quero falar de sonhos.

Há mais de uma década atrás eu estava na faculdade (sim porque eu entrei na faculdade com 10 anos gente!!) tinha muitos sonhos e objetivos, amava cinema, fotografia, tinha a paixão pelo teatro, gostava de criar, e recriar.

A vida veio, a vida vem, e foi me levando pra onde eu não imaginava, nada planejado, eu passei a trabalhar em outras áreas, e a maioria desses sonhos e planos ficaram lá no passado.

Em 2010 chega seu Antônio, o Nino, aquele mesmo, de cabelos cacheados e cara de traquina (essa eu tirei do passado heim??!!!) e me traz uma vontade louca de mudar tudo.

Estava em um ótimo emprego na regional da maior editora do país e precisava voltar da licença maternidade. Gostava do que fazia, mas não amava, ganhava bem, mas não queria nem pensar em deixar de amamentar, virei uma mãe leoa.

Logo eu, que era tão desencanada e tão cheia de : Ah isso eu não vou fazer. Não imaginava ainda o que me esperava.

Edu (esse é o marido: fotógrafo, artista e um tanto maluco, não necessariamente nessa ordem) fez campanha acirrada pra eu sair do trabalho, me juntar a ele e colocar ordem no estúdio antes dirigido por sua cabeça cheia de idéias mas muita desorganização, coisa de homem, coisas da arte.

Não sei se foram os hormônios (louca louca louca), o amor por aquele serzinho (olha o clichê), ou a vontade de retomar projetos antigos. Disse à casa : Que fico.

E foi assim, depois que virei mamis e optei por ficar mais próxima do Nino, acabei voltando sem querer, sem planejar, com o empurrão da maternidade, a fazer algo que me permite criar, viajar, me divertir e que me trouxe sonhos antigos.

Passei a escrever o blog, cozinhar virou um vício, voltei a estudar fotografia e arte , quando me dei conta já não estava só cuidando da parte administrativa do estúdio mas fotografando e colocando o meu olhar em boa parte dos materiais. Vibro cada vez que vejo um trabalho concluído.

Ainda não voltei a atuar no teatro, quem sabe vira um próximo projeto? Mas confesso que tenho treinado muito quando tenho que cantar, contar histórias, e até mesmo improvisar no dia a dia da difícil e linda tarefa de educar. E nós mães não temos que nos virar nos 30?

Nem tudo são flores, as olheiras estão aqui pra me entregar. Trabalho mais , me cobro mais e fico no pé do marido cobrando, para o seu desespero, muito mais que antes. Mas sonho. E vivencio meus sonhos infinitamente mais também.

Se posso dizer algo sobre a maternagem é que ela me fez resgatar sonhos.

Então o tal “maior amor do mundo” veio, e me trouxe coragem pra mudar.

E resgatou uma Laiz que eu já nem sabia que existia.

 

Laiz, publicitária e fotógrafa, escreve no blog Dias de Mamis e no Roteiro Baby Curitiba. Esposa do Edu e mãe do Antônio (Nino). Gosta de cozinhar e “fazer arte” pela casa e está se redescobrindo a cada dia após a maternidade.