O que sou hoje não reflete o que serei amanhã. Reflete o que eu sou hoje!!!

O que sou hoje não reflete o que serei amanhã. Reflete o que eu sou hoje!!!

Por:  Marcia Benalia

Quem nunca se viu ensinando algo para seu filho, visualizando os benefícios que tal prática acarretaria no futuro?

Muitos de nós, quando sentam na cama dos filhos para ler um livro, pensam que além de contar a história, estão contribuindo com a cultura daquela criança(às vezes bebê) e portanto, garantindo um futuro diferenciado.

Participei de um encontro, onde o palestrante era um educador, especialista em leitura, chamado Luiz Percival Leme Britto e depois de algumas horas escutando as palavras dele, me dei conta que cometia erros de prospecção do futuro com uma criança de dois anos de idade! Sim, sem querer, estava brincando com minha filha, com peças de madeira e pensando: “ UAU, ela já entende matemática. Vai ser uma ótima aluna! Ela possui tendência para exatas!”

Não conseguia aproveitar apenas o momento. Na gestação, colocava música clássica para que minha filha escutasse e desenvolvesse o gosto musical desde a barriga! Quando lia um livro de história pensava que com esta atitude estava estimulando o desabrochar de uma consumidora voraz de livros na vida adulta. Então, decidi mudar o foco e cheguei a conclusão que tudo que eu ensino e faço para minha filha é importante para o presente e se surtir algum efeito na idade adulta, ótimo, mas esta não é a ideia principal!

Ler para um criança não é importante para que ela se torne uma leitora ávida quando crescer. Se formos buscar motivos científicos, descobriremos que  ela ganhará em amplidão e fluência na linguagem. Quando lemos para uma criança ela, ao escutar nossa voz, escutando o ritmo das palavra, ganha em desenvolvimento cognitivo. Isso, sem contar no mundo da fantasia que é de suma importância no desenvolvimento infantil.  Como disse o Luiz Percival, a criança lê com os ouvidos e através dos nossos olhos! Mas, sabe qual o real motivo pelo qual devemos ler para nossos filhos? Simplesmente porque dá prazer, tanto para a criança que escuta, quanto para o adulto que lê!  É gostoso, é divertido!

Que tal aderirmos ao movimento de desaceleração, andando na velocidade dos pequenos? Vamos respirar e curtir o momento. Aproveitar ao máximo a mágica da infância. Esquecer o amanhã, porque se não cuidarmos do hoje, o amanhã não existirá mesmo! Quando minha filha decide que subir a escada de costas é muito mais divertido do que subir da maneira convencional, de frente, eu simplesmente espero com a maior calma do mundo que os 14 degraus sejam vencidos! Afinal, só na infância que somos permitidos a cometer extravagâncias deste porte sem termos nossa sanidade questionada!

Este é um manifesto de amor aos nossos filhos que crescerão e serão adultos como nós, mas que se lembrarão da infância como um período único de suas vidas onde puderam aproveitar da melhor forma possível, livremente, sem pressões para o crescimento para a vida adulta.

 

Marcia Benalia é comunicóloga, cursando pós-graduação em psicologia e maternidade, doula, consultora de amamentação e instrutora de shantala certificada pelo GAMA(Grupo de Apoio a Maternidade Ativa), consultora em aromaterapia para gestantes certificada pela Aromaflora, sócia da Maternity Coach, mãe de dois filhos e estudiosa dos benefícios que a natureza nos promove.