I Conferência Nacional Online sobre Amamentação

I Conferência Nacional Online sobre Amamentação

Por: Fabiana Panassol

 

A nossa cultura atual nos diz que o processo da amamentação é instintivo e natural, algo sublime, onde basta ter muito amor para que tudo dê certo.

Sim, é preciso ter amor, mas é preciso ter muito mais do que isso! Muitas mulheres que amam seus filhos mais que tudo não conseguiram levar a amamentação para além dos primeiros dias. E por quê?

Amamentar é natural, é fisiológico e é até simples, mas não é fácil! Se fosse fácil nós não teríamos um índice de desmame tão alto no Brasil.

E o que é que isso quer dizer?

Quer dizer que a imensa maioria das mulheres que querem amamentar e que se dedicam muito para que isso aconteça, muitas vezes até fazendo cursos e comprando livros, pesquisando sobre o assunto, não conseguem passar pelas dificuldades que aparecem nas mais diversas etapas do processo.

Essas mulheres se sentem tão inseguras, desmotivadas e incapazes devido a falta de apoio e comentários negativos sobre a amamentação, que não encontram forças para vencerem sozinhas esses obstáculos. O resultado é danoso para mães e seus bebês.

Pensando nessas histórias eu idealizei a CONAMAME, a I Conferência Nacional Online sobre Amamentação, que acontecerá de 24 a 30 de novembro.

Mas antes de eu te contar o que a Conamame é, deixa eu me apresentar:

Eu sou a Fabiana Panassol, doula e idealizadora da Conamame. Trabalho há mais de 10 anos com mulheres em Porto Alegre, ajudando-as em seus processos de gestar, parir e amamentar.

Ao longo dos anos, na Luz Materna, eu fui percebendo algumas semelhanças entre as histórias de amamentação que davam certo; bem como com as histórias que falhavam. A realidade que via, e que ainda vejo, é muito diferente da que aparece nos programas de incentivo ao aleitamento materno do Ministério da Saúde.

E essa realidade é muito, mas muito parecida mesmo com a minha própria experiência com a amamentação do meu filho, que hoje tem 13 anos!

Quando ele nasceu eu me vi apavorada, insegura, com um bebê nos braços. Eu não entendia nada sobre o processo fisiológico da amamentação, não sabia o que era o colostro! Não sabia o que era a rotina com um bebê recém nascido e nada sobre livre demanda!

Meu filho demorou para acertar a pega, tive fissuras, sofri com a descida do leite e com os empedramentos constantes…Como se não bastasse, meu bebê não ganhava o peso esperado pelo pediatra!

Essa história parece familiar para você ou para alguém que você conheça?

Existem dois tipos de mulheres muito presentes, quando o assunto é amamentação (eu me encaixava no tipo 1):

1 – Aquela que nunca amamentou antes, mas quer muito amamentar seu bebê quando ele nascer, porém não se sente preparada e segura, tem muitas dúvidas e está cansada de procurar aqui e ali e só encontrar informações desconexas e fragmentadas.

2 – Aquela que já tentou amamentar antes, mas não conseguiu. Em algum momento ela não soube mais como continuar, se sentiu pressionada por tudo e por todos e acabou cedendo a essas pressões, indo contra a sua vontade e oferecendo leite artificial para o seu bebê, por medo de que ele estivesse passando fome e que ela estivesse fazendo mal a ele por algum capricho.

As que nunca amamentaram, não sabem do que se trata… e com tanta desinformação por aí, nem se preparam adequadamente para esse período de suas vidas, que vai ser maravilhoso, com certeza, mas vai também ser intenso, cansativo e com alguns desafios, que ninguém comenta!

Já as que não obtiveram o sucesso desejado, estão descrentes. Não se sentem capazes. Acham que possuem algum problema, que amamentar não é para elas…e se seguram em discursos desempoderantes e alienantes que estão espalhados aos montes por aí.

A Conamame surgiu então como um elo de ligação entre você e a história de amamentação que você quer construir com o seu bebê.

Consultoras, pediatras, enfermeiras, nutricionistas, mães e suas experiências práticas, psicólogas, educadoras, todas reunidas num só lugar com aquilo que elas conhecem de melhor sobre amamentação dentro de suas respectivas áreas.

Algo que eu gosto de esclarecer desde o início é que a Conamame foi pensada para ajudar aquelas mulheres que QUEREM amamentar.

Eu defendo a escolha LIVRE e CONSCIENTE e a Conamame não foi feita pensando em mudar a opinião das mulheres que NÃO QUEREM amamentar. Então, se você já fez a sua escolha e está tranquila com ela, a Conamame não é para você. 😉

Agora se você quer amamentar e sabe que precisa de mais informação, mais apoio, mais consciência do processo fisiológico e psicológico da amamentação…a Conamame é toda sua! 🙂

Você pode se inscrever por e-mail e assistir a 42 palestras online gratuitamente no período de 24 a 30 de novembro, das dez da manhã às oito da noite!

Você pode conferir a nossa programação e se inscrever neste site:

www.conamame.com.br

Te espero do outro lado! <3