Educação multilíngue

Educação multilíngue

Por Cláudia Storvik,

Muitas pessoas nos perguntam por que meu marido e eu decidimos criar nossa filha num ambiente trilíngue. Na verdade, nunca houve uma “decisão” nesse sentido. Nós já moramos em diversos países e trabalhamos com colegas de dezenas de nacionalidades diferentes, portanto os benefícios do multilinguismo sempre foram muito claros para nós.  Desde que nossa filha nasceu vivemos em Londres, uma das cidades com maior diversidade linguística no mundo, onde são faladas mais de 250 línguas. Muitos de nossos amigos falam vários idiomas e alguns têm filhos bilíngues. Multilinguismo sempre nos pareceu uma coisa natural, quase que inevitável no caso de uma família tão internacional como a nossa. Em momento algum tivemos dúvida de que nossa filha seria criada em português, norueguês (a língua de meu marido) e inglês, uma vez que ela teria um contato natural com esses três idiomas ao longo da vida.

Além disso, para muitos pais residentes no exterior, falar sua língua materna com os filhos é um elemento importante de seu relacionamento com eles. Mesmo que você seja muito fluente em outro idioma, provavelmente vai se sentir um pouco estranha falando com um bebezinho, brincando, tentando transmitir carinho ou até mesmo dando bronca numa língua que não seja o português. Portanto, desde o nascimento de nossa filha eu falava português e meu marido falava norueguês com ela – o famoso sistema “one parent, one language”.

Estudos demonstram que crianças têm maior facilidade para aprender várias línguas em ambientes em que há coerência no uso dos idiomas – elas adoram previsibilidade e segurança. Isso não quer dizer que a criança deva estar exposta a apenas uma língua, mas sim que cada pessoa deve usar sempre o mesmo idioma para falar com ela.  No caso de filhos de brasileiros residentes no exterior, quando a criança aprende português em casa com o pai ou a mãe, e o adulto não é coerente no uso do idioma, falando com a criança às vezes na língua do país de residência e outras vezes em português, a tendência é que a criança desenvolva bilinguismo passivo, respondendo na língua do país de residência quando o adulto se dirige a ela em português. Bilinguismo passivo é mais comum entre filhos de brasileiros residentes no exterior do que se imagina. Eu diria mesmo que bilinguismo passivo é a regra para essas crianças, enquanto que a competência de expressão efetiva nas duas línguas é a exceção.

Já os benefícios do multilinguismo infantil podem ser vistos desde muito cedo.  A criança tende a ser mais criativa, tem melhor desempenho acadêmico, maior habilidade em atividades que envolvem matemática, lógica e comunicação. Há também benefícios para o seu vocabulário, fonologia, sintaxe e leitura. Aprender mais de uma língua na infância também facilita o aprendizado de outros idiomas, pois desenvolve na criança a consciência da estrutura e do funcionamento das línguas. Falar várias línguas desde cedo também torna os pequenos mais tolerantes às diferenças entre as pessoas.

Comunicação é crucial para a valorização e compreensão de outras culturas. Falar mais de um idioma permite à criança entender melhor o mundo, percebendo desde cedo que existem muitos países e que em cada um desses países as pessoas têm linguas, tradições e costumes próprios, e o que parece ser diferente para uma pessoa na Inglaterra pode ser muito normal para alguém em outro lugar. No mundo globalizado em que vivemos, existe uma enorme vantagem em entender essas diferenças.

Cláudia Storvik – advogada, casada com um norueguês, já morou no Brasil, Estados Unidos, Noruega e há 15 anos vive na Inglaterra. Quando sua filha nasceu decidiram que ela seria criada nas três línguas com as quais teria um contato natural durante a vida: português, inglês e norueguês, a língua de seu pai. Hoje ela é totalmente fluente em inglês e português e muito competente em norueguês. Compartiha a sua experiência de educação multilíngue, no blog: Filhos bilíngues. Leitura obrigatória para mães e pais brasileiros residentes no exterior, que estão tentando dar a seus filhos o maravilhoso presente do bilinguismo.

Copyright © Claudia Storvik, 2011. All rights reserved.