Diferença de idade entre irmãos: mais ou menos anos?

Diferença de idade entre irmãos: mais ou menos anos?

Por Ana Paula

Desde pequena, quando pensava que um dia teria uma família só minha, sabia que ia ter mais de 1 filho. Eu queria cinco, imagine só! Achava lindo aquelas famílias grandes (meus pais vieram de famílias grandes, com 6 irmãos cada um) e curtia muito as reuniões de família na casa da vó, com aquele bando de primos brincando juntos.

Aí a pessoa cresce, tem a primeira filha e, de repente, não sabe de onde tirou a ideia de ter cinco filhos. Nada contra quem tem muitos filhos, vejam bem, eu continuo achando família grande uma coisa linda, só que na minha vida fica meio inviável por várias razões que não vêm ao caso agora. Apesar disso, sabia que não ia parar na primeira, e queria dar um irmão (ou irmã) pra ela.

Na minha cabeça, dois anos de diferença entre os irmãos era o espaçamento perfeito. Eu e minha irmã temos dois anos de diferença de idade, pra mim esse era o “normal”. Mais que isso, pra mim, não seria legal porque as crianças teriam uma diferença muito grande de idade e não seriam amigas. Não que pouca diferença de idade garanta que os irmãos vão ser super amigos, eu e minha irmã nos bicamos demais por muitos anos e só viramos amigas mesmo, de verdade, depois que eu casei. Mas, enfim, esse era o plano.

Só que a vida aconteceu no meio do caminho, e, quando minha filha tinha um ano e meio, resolvemos mudar de país. Aquela não seria a melhor hora pra engravidar, naturalmente. E o plano do segundinho teve de ser adiado.

E foi adiado por muito tempo. Minha filha ia fazer três anos quando chegamos no Canadá. E tínhamos uma vida toda pra recomeçar. Lá no fundo, eu fiquei meio triste que minha filha já ia ser tão grande quando tivesse um irmão, mas não tinha outro jeito.

Quase um ano depois foi que começamos a falar em engravidar novamente. Laura, minha filha, ia fazer quatro anos. Eu não queria esperar mais, não queria que a diferença de idade fosse ainda maior. E assim veio Alice, quando Laura tinha quatro anos e meio.

Pra minha surpresa, a diferença de idade entre elas foi ótima! A mais velha já era bem grandinha, já não usava mais fraldas, já falava, comia sozinha. Até ajudava com a irmãzinha. Não sofremos muito com crises de ciúmes, porque ela curtia muito a neném.

Hoje elas têm três e oito anos. Alice faz quatro em outubro. E elas se amam demais. São muito, muito amigas. Laura é super protetora da irmã, às vezes até demais, que a pequena até abusa da boa vontade dela. Se elas brigam? Ô, se brigam. Normal, né? Acho que todos irmãos têm seus momentos de tapas e beijos.

E mais uma vez a vida me deu uma lição, ou duas. Primeiro, que nem tudo sai como planejado. Segundo, que mesmo o inesperado às vezes é melhor do que a gente imagina.

 

Ana Paula Calabresi é jornalista e vive com as duas filhas (foto) e o marido em Vancouver, no Canadá. Ela escreve o blog Colorida Vida