De médico e louco toda mãe tem um pouco.

De médico e louco toda mãe tem um pouco.

Por: Isabella Kanupp

Que atire a primeira pedra a mãe que nunca se sentiu o próprio House por desvendar aquela febre no filho no meio da noite!

E pior, que achou que o banho resolveria, que um antitérmico ajudaria, e que bom… se nada der certo amanhã vamos ao médico.

Confesso: vivo em uma relação de amor e ódio com o pediatra da Beatriz, mesmo ele sendo um amor de pessoa e um pediatra muito competente. Eu sempre acho que sei mais que ele.

“ Mas tem certeza que não é garganta?Porque eu li no Google… ops”.

Que mãe nunca jogou um sintoma no Google na esperança de aparecer um holograma no meio da sua sala dizendo tudo o que o seu filho tem? Desespero define, mas todos nós recorremos a ele.

Detesto ter de recorrer ao pronto socorro, e eu tenho um trauma enorme desde o dia em que a minha filha se engasgou com algo que nunca saberemos o que é. Sei que vi minha filha roxa no meu colo e a virei de ponta cabeça para desengasgar, e funcionou. Mas para ter certeza levamos ao pronto socorro, e no auge do meu desespero perguntei se não era melhor fazer exames já que ela se engasgou com algo. E o plantonista me diz: mãezinha, ela está respirando, se foi algo você vai ver depois quando ela fizer as necessidades dela.

Daí eu entendi a parte do louco.

E eu só conseguia pensar que ser mãe te trás um autocontrole incrível, porque em qualquer outra situação eu já teria partido para cima dele, até porque, eu estava desesperada, com medo, e sem saber o que a minha filha havia engolido.

Mas mãe que é mãe surta, grita, da aloka, e depois chora no banheiro. Se culpa porque justo naquele momento que foi checar o facebook a filha resolveu engasgar, se culpa porque pode ter sido um botão que sumiu, se culpa porque deveria ter levado em outro pronto socorro, e se culpa porque não bateu no plantonista.

Daí se recompõe, checa para ver se a filha está respirando enquanto dorme, senta no computador, entra no Google e digita “ minha filha engasgou, quanto tempo demora para sair nas fezes”.

 

Isabella Kanupp – Malabarista Profissional de Tempo, esposa, blogueira e orgulhosamente mãe da “espoleta” Beatriz. Escrevo no blog PARA BEATRIZ tudo sobre meu legado materno, humilde para assumir minha falhas, dúvidas e incertezas, debatendo temas,
para qual, muitas mães torcem o nariz.