Construindo seres humanos: vamos falar de caráter?

Construindo seres humanos: vamos falar de caráter?

Por: Talita Guedes Bittioli

 

O caráter

Você já parou para pensar sobre o caráter de seus filhos? Você sabe a diferença entre caráter e personalidade?

Caráter: Feitio moral, índole, qualidade inerente a certos modos de ser ou estados (Michaelis Moderno Dicionário da Língua Portuguesa).

Personalidade: Qualidade de pessoal, caráter essencial e exclusivo de uma pessoa, aquilo que a distingue de outra (Michaelis Moderno Dicionário da Língua Portuguesa).

Estas duas coisas estão intrinsecamente ligadas ao ser humano. Todas as pessoas, pequenas ou grandes, são dotadas de caráter e personalidade. O caráter é algo que muda, que se desenvolve, que pode melhorar e piorar. Pode ser mexido, ser trabalhado. A personalidade é o jeito íntimo de ser de alguém, não se muda. Ela é assim e ponto. Características da personalidade podem ser trabalhadas, lapidadas, controladas, mas, jamais apagadas.

Uma pessoa de má índole pode vir a ter boa índole. Uma pessoa que tem a agressividade como característica de personalidade será sempre acompanhada por ela, que pode ser controlada ou não, mas estará por perto. Personalidade é biológico. Caráter é construído através das relações.

Tudo isso parece mais fácil de perceber e entender quando se trata de adultos. O fato é que, adultos um dia foram crianças e crianças um dia serão adultos. E aí, por mais complexo que pareça, é na infância que se aprende a ser adulto. A infância em si é o processo de aprendizado mais importante na existência de alguém. É nesse momento que a pessoa aprenderá sobre as coisas da vida, do mundo, sobre certo e errado, sobre moral, amoral e imoralidade, sobre crenças, princípios, valores, e por aí vai. Nela se definem aspectos fundamentais da pessoa por toda sua história. Tudo, claro, dentro do contexto em que está crescendo e de acordo com a dinâmica da família a qual faz parte.

Então, papais, é muito, muito importante preocupar-se com o caráter do seu filhote. Eu diria que é essencial! Parece uma coisa estranha dizer que os pais constroem os filhos, não é não?! Mas é isso mesmo… Tire o paradigma da frente, abra a mente, pense em sua infância e no modo que seus pequenos estão crescendo e reflita: é isso ou não é?

Quando digo pais, incluo cuidadores e pessoas que são de muita influência na vida da criança, ok? Não me atenho à gestação, mas pontuo a criação. Os adultos que estão criando crianças têm uma responsabilidade nas costas que é impossível descrever! Pois é, achou que seria fácil, né?! Não não. Criar vai muito além de ensinar a andar, falar, sentar, comer, fazer xixi na privadinha, escrever e etc e tal e vocês sabem disso. Criar é construir. Aquele mimo de gente que enche teus olhos de alegria, que se desenvolve a cada dia, que transformou sua vida precisa ser construído. E aí meu bem, essa tarefa é do papai e da mamãe! Cada família é uma e a dinâmica familiar não é nosso ponto principal, então, adapte isso pra realidade em que vive, pra que tudo possa fazer mais sentido pra você, tudo bem? São duas mães? Dois pais? Os avós? Só mãe? Só pai? Tia? Tio? Whatever. O adulto que cria a criança tem essa deliciosa tarefa a cumprir.

Sim, deliciosa! É fácil criar um ser humano? Evidentemente, não. Mas, participar da existência de alguém é algo fantástico! Saber que poderá contribuir para o que aquele mini ser se tornará é inexplicável! O que precisamos pensar é que: como disse SpiderMan: Grandes poderes trazem grandes responsabilidades. E não há contexto mais especial para o bebê ser ‘construído’, do que a Família. A criança é incapaz de controlar completamente sua conduta e os pais devem orientá-las.


A Família

Muitas são as influências que afetam o desenvolvimento infantil e a construção do caráter da criança. De todas, muito provavelmente, nenhuma seja tão significativa como a influência da Família. Portanto, compreender o papel dela nesse aspecto é fundamental.
Social e historicamente falando, Família é um núcleo que constrói a coletividade e o que se passa dentro dela trará consequências sobre a sociedade em geral. E é aí que deve entrar a preocupação e a responsabilidade dos pais, na construção de caráter dos filhos. Em que tipo de sociedade você quer viver? Essa pergunta pode ser respondida com a maneira como você cria os seus filhos. Essa criação refletirá o mundo em que você quer fazer parte. Valores éticos e morais, princípios e conceitos são repassados através de exemplos, de geração em geração e desenvolvidos no relacionamento interpessoal.

Estudiosos definem Família como sendo uma unidade de pessoas em interação, com uma história natural composta por várias fases, sendo que a cada uma delas correspondem tarefas específicas por parte da Família. Um sistema no qual se definem e aprendem valores, crenças, conhecimentos e práticas, que está arraigado numa variedade de contextos e constituído por pessoas que compartilham sentimentos e valores formando laços de interesse, solidariedade e reciprocidade, com características e dinâmica própria.

 

Dentro dessa Família, o bebê será construído. A importância de se preocupar com a construção do caráter de uma criança tem significado quando compreendemos que ela crescerá e, de sua criação, da construção de sua identidade dependerá o tipo de adulto que ela será. Tudo deve ser observado: a forma como os pais tratam o bebê, como os parentes e amigos o tratam, como esse bebê cresce, em que meio ele se desenvolve, com quais valores ele é ensinado, no que a sociedade o influencia, a forma como ele vive. Isso tudo construirá o caráter de uma pessoa.

 

O recém-nascido possui apenas uns poucos instintos: sugar, respirar, engolir, gritar, etc., que são impulsos precisos para sua sobrevivência. Os valores são desenvolvidos através dos relacionamentos e das influências do meio em que ele vive. Nesse período, são os comportamentos aprendidos através das relações que formarão a criança no ser quem ela será e a agir da forma que agir, não mais os instintos.

 

A construção do caráter é um processo e deve ser direcionado na infância até a adolescência. Os pais são fundamentais nesse processo, pois devem conduzir os filhos nesse momento. Quando esse direcionamento não acontece no período da infância, ele acontecerá, obrigatoriamente, em algum momento, possivelmente por outras pessoas que não os pais e dentro de outros aspectos e contextos que não a Família. Acontece que, sendo assim, esse desenvolvimento necessário pode acabar gerando sofrimento, problemas emocionais e de codependência e dificuldades de relacionamento em geral. Os pais são os primeiros professores dos filhos, e como tal, têm a responsabilidade de prepará-los para a vida.

 

As influências por aí…

 

As influências no processo de construção de caráter da criança podem ser positivas ou negativas, e se revelam também fora do ambiente familiar. As influências externas podem ser observadas na mídia, na escola, na igreja, nos círculos de amizade, nos outros núcleos familiares de menos proximidade e nas mais variadas situações de convivência social da criança.
O mundo está cheio de questões morais difíceis, mas em qualquer contexto, atitudes e exemplos são mais significativos do que qualquer palavra. A conversa com os filhos, desde pequeninos, é essencial, mas, a forma como os pais vivem é que será crucial. Além disso, é importante se esforçar para não esconder da criança maus exemplos ou maus comportamentos, mas sim, ensiná-la sobre isso. Como dito anteriormente, a criança crescerá e de uma forma ou de outra estará exposta ao mundo, aos problemas, às ‘coisas erradas’.

 

Isso é real e não há como evitar, porém, é possível ensinar a criança como lidar com estes problemas, como reagir às influências externas e como fazer boas escolhas sem se deixar influenciar. Faz mais efeito na construção do caráter da criança, por exemplo, assistir junto dela um desenho que faz alusão à violência e explicar o que é aquilo, como lidar, como evitar, porque aquilo existe, como agir em situações como aquela e etc., do que simplesmente proibi-la de ver. Isso porque, ela poderá não ver em casa, mas as crianças não podem ser trancafiadas dentro de sua casa e não se relacionarem com outras pessoas e com o mundo que as abriga.

 

Essa atitude é mais eficaz na hora de proteger os pequenos contra as influências negativas, e mostrará o caminho do bem, fazendo-os pensar ao tomarem decisões, agir de forma coerente, ter relacionamentos saudáveis, bom senso e responsabilidade. Ou seja, o caráter da criança será formado de modo que ela se torne um adulto maduro, feliz e saudável.

 

A sociedade poderá se mostrar e tentar afetar o caráter da criança em seus diversos seguimentos: escolas, empresas, governos, instituições, artes, tribos, grupos, mas nada substitui ou supera o valor de uma Família firme, equilibrada e consciente de suas responsabilidades no processo de construção de caráter das crianças.

 

Sei o que é caráter, sei que a Família é essencial nesse processo, sei o que influencia a construção do caráter do meu filho, mas, e agora?

Nesse processo de desenvolvimento, os pequenos não sabem claramente o que está acontecendo, por isso, espelham-se nos pais, naquilo que estes fazem e falam, em suas atitudes e modo de agir, tanto com os outros e, principalmente com os filhos. A criança reflete aquilo que vê. Quando os pais declaram todo o tempo que a criança é má, é desajustada, é feia, é incapaz, é errada, é quieta, é isso ou aquilo, acabará por criar no filho a tendência de agir de acordo com as imagens que lhe estão sendo atribuídas. O contrário também é verdadeiro: só elogios e nenhuma correção cria na criança a imagem de que ela é perfeita e que todos os seus desejos devem ser cumpridos. Nenhum extremo é o ideal. O que se deve buscar é o equilíbrio.

 

É responsabilidade dos pais ensinarem os filhos como devem agir. Não estou dizendo que os pequenos serão robozinhos dos pais, certo? O fato é que os pais devem ensinar e estimular os filhos a pensarem, refletirem, analisarem as possibilidades que os cercam e a tomarem decisões sábias. Isso é fundamental na infância, quando ainda não se tem total consciência do que fazem. É preciso ensinar sobre obediência, respeito, lealdade, fidelidade, zelo, afeto, cuidado com o corpo, verdade, coragem, tolerância às frustrações, domínio próprio, gratidão, como lidar com as finanças, bondade, cortesia, dentre tantas outras coisas e, o principal: prepará-los para a independência.

A Família tanto pode oferecer um ambiente que constrói pessoas saudáveis e estáveis emocionalmente, felizes e equilibradas, ou, inseguras, desequilibradas e com desvios de comportamento. Qual é sua escolha?

O modo como a criança é criada tem profundas consequências na estruturação de seu caráter. Os primeiros anos de vida são fundamentais e neles é que o trabalho mais difícil acontece. Quando a criança nasce, não tem identidade psíquica definida, nem autoimagem formada, tudo não passa de um continuum materno, uma extensão da mãe. Conforme seu crescimento e desenvolvimento, ela será construída.

 

Ok, tudo parece muito distante e difícil, não é mesmo? Pode ser que sim, mas, não precisa ser assim. Isso, se compreendermos o mundo da criança. Os pequenos vivem no mundo do faz de conta e através das brincadeiras é que eles se expressam, externalizam seus sentimentos, esclarecem aquilo que passa em sua cabeça e constroem seu mundo real. Crianças aprendem brincando, aprendem ‘coisas de gente grande’ e coisas da vida, fazendo e experimentando essas coisas em seu mundo infantil.

 

Brinque com seu pequeno! Trate dessas questões difíceis da vida através do lúdico, da linguagem da criança. Dessa forma ela assimila melhor as informações e seu caráter é construído adequadamente. Na infância, a criança espera dos pais uma orientação para a vida. O sucesso na construção do caráter é quando os próprios pais estão ‘encontrados’ em si mesmo, ou seja, sabem a direção que está seguindo e, se o filho tem condições de aceitar os valores paternos e apropriar-se deles, pois uma criança que não consegue sentir-se genuinamente amada pelos pais pode achar isso difícil.

 

Criança em construção precisa de amor, aceitação e segurança. E mais: carinho, aconchego, cuidados e modelo. Os pais despertam nos filhos inclinações boas ou más. Isso revela o significado da palavra caráter, que quer dizer ‘gravar’. Os comportamentos dos pais ficam gravados nos filhos, através dos exemplos passados e da maneira como os tratam. É importante considerar que os filhos introjetam essas informações e projetam a partir de sua própria percepção, o que tem a ver com a personalidade, lembram? Assim, a construção do caráter é o que cada um pode desenvolver a partir do que tem, em contato com suas relações.

Construção de caráter é isso! Educar, sabendo que isto não se limita a repassar informações ou mostrar apenas um caminho, mas sim ajudar a criança a tomar consciência de si mesmo, dos outros e da sociedade, construindo pessoas autênticas e maduras que refletirão um mundo mais saudável.

 

Talita Guedes Bittioli, psicóloga graduada pela Universidade Metodista de São Paulo, com extensão na abordagem Fenomenológico-Existencial. Palestrante em Escolas sobre diversos temas relacionados ao contexto Infantil, para pais e alunos. Ainda não é mãe, mas já é apaixonada pela maternidade e principalmente pela Família.

Saiba mais sobre o trabalho de Talita aqui