Colocar a criança na escolinha: os prós e os contras

Colocar a criança na escolinha: os prós e os contras

Por Mariana Branco, do blog Mamãe Prática

Felizmente, eu pude esperar: não precisei voltar a trabalhar depois da licença maternidade. Mas isso não significa que não foi igualmente difícil pra mim, mãe de primeira viagem, acompanhar as adaptações da minha filha na chamada “escolinha”.

Sem contar a adaptação social, o convívio com outras crianças que pra ela foi difícil, o fato de ter ficado muito doente (foi um antibiótico atrás do outro em apenas 2 meses) me deixou de cabelo em pé e, por isso, após a primeira tentativa, decidi adiar o processo. Quase um ano depois, em agosto de 2014, quando ela tinha acabado de completar 2 anos, investi novamente na ideia de “escolinha”, e aí deu certo!

Hoje ela continua frequentado a escola e é lindo ver a sua evolução e felicidade com cada coisa nova que aprende com a professora e os amiguinhos. Mas colocar um bebê ou criança pequena na escola, pra mim, tem prós e contras. Esse é o meu balanço até agora, e qual é o seu?

Socialização (#prós)
Sem dúvida, este será se não o melhor um dos melhores benefícios que a escolinha poderá proporcionar ao seu filho. Ele vai aprender a brincar com outras crianças, a compartilhar coisas com os outros e, o que pode ser muito difícil para você, saber viver algumas horas longe da barra da saia da mãe.

Novas experiências (#prós)
Por mais que a gente tente todo dia fazer algo novo em casa – uma nova brincadeira, um novo vídeo, uma nova comidinha para seu filho experimentar – não dá para comparar o nosso esforço com a estrutura e experiência que as professoras têm (claro, isso se você conseguir colocar seu filho em uma boa escola).

Por meio das brincadeiras reproduzidas em casa, a minha pequena agora demonstra o quanto está gostando da escola: faz atividades e brincadeiras que aprendeu, canta novas músicas e fala de contos de fadas que ouviu. Lá, ela também aprendeu, por exemplo, a dar cambalhotas, a pular na cama elástica, a andar em fila e a dizer “obrigado”, “por favor” etc. A mamãe aqui fica só “babando” …

Autoestima renovada (#prós)
Filho na escola também significa mãe mais feliz. Quem concorda? Não é porque você deseja (imensamente) ficar algumas horas sozinha pra relaxar, ir ao salão de beleza ou simplesmente pra conseguir dar conta da casa e poder retomar sua carreira que você não é uma boa mãe. Mãe feliz, filho feliz. Pense nisso.

Dodóis (#contras)
Minhas amigas alertaram, mas foi só sentindo na pele que me dei conta do quanto a escolinha pode, infelizmente, fazer as crianças ficarem doentes. Sim, porque sempre vai ter um coleguinha doente, alguém tossindo ou espirrando. Pra mim esse é o pior “contra”. Na primeira vez, minha filha começou a adaptação na escola em uma segunda-feira e na sexta-feira estávamos, por volta da 1 hora da manhã, no hospital com ela: febre de 39 graus, garganta super inflamada e a pior gripe que ela teve até aquele momento.

Tudo pode acontecer (#contras)
Se em casa você tinha a sensação de que seu bebê estava quase 100% seguro com você, lá na escolinha você vai perceber que, no fundo mesmo, não é bem assim. Por mais que a escolinha seja bem recomendada e super elogiada pelos outros pais, podem surgir alguns probleminhas, é fato. Uma queda, uma briga com um coleguinha, uma mordida de outro coleguinha … Infelizmente, tudo pode acontecer.

Beijos, da Mamãe Prática Mari.

 

Mariana Branco é autora do blog Mamãe Prática. Mãe da Manuela, uma menina curiosa de 2 anos, descobriu que a maternidade tem vários lados – enquanto ensina a sua filha, também aprende muito com a sua pequena, como o fato de a felicidade estar em cantar, dançar e aprender algo novo. Jornalista, Mariana adora escrever sobre maternidade e comanda o blog com a sua irmã gêmea, Fabiana Fontainha, também mãe de primeira viagem.