Alternativas para um belo enxoval sem passagem área e desperdícios

Alternativas para um belo enxoval sem passagem área e desperdícios

Por: Carolina Pombo

Muitas gestantes que conheço tem ido para Miami fazer o enxoval do bebê. Entendo perfeitamente a atitude, por que quando eu engravidei e dei de cara com as listas prontas sugeridas por lojas, sites e maternidades, fiquei perdida e muito chateada. Grande parte dos “itens sugeridos foram super difíceis de encontrar e caros. Sem falar que, no fim das contas, muita coisa foi usada apenas uma vez pela pouca praticidade e péssima qualidade, e outras que nem foram mencionadas se mostraram fundamentais! Também concordo com os argumentos de que aqui no Brasil temos um mercado infantil fraco, que parece ter dormido no ponto dos anos 50. Quando vamos a uma loja comum para mãe e bebê somos bombardeados por vestidinhos, bodies e pagões de linho, renda, e um algodão chinfrim que estragam na primeira lavagem – à máquina, sim por que hoje em dia, qual é a mãe que vai ficar com a barriga no tanque lavando roupinhas de recém-nascido à mão? E gente, quem é que usa os conjuntinhos de pagão mais de uma vez? Eles são tão chatos de colocar, que desistimos logo e apelamos para os bodies com botões. Não é mesmo?

Então, de fato, podemos encontrar coisas muito mais legais e úteis nos outlets em Miami, até mesmo por preços arrasadores (já que muita coisa vem da China, um lugar onde a mão de obra é quase sempre semi-escrava e onde os impostos são mais baratos). E, como brasileiro adora o american way of life, mesmo quando o produto não é assim tão adaptado ao nosso clima e à nossa cultura, acaba ganhando nossas ruas e casas. Carrinhos, berços, roupas, bolsas, carregadores, muitas coisas tem enchido as malas das gestantes brasileiras que gastam com a passagem para fugir das listas prontas e das lojas atrasadas (e caras!) daqui. O mercado está sentindo. E eu, como empreendedora do universo materno-infantil, tenho visto algumas lojas de marca aqui no Rio irem à falência por causa da fuga dos clientes. Algumas, para compensar a perda, estão aumentanto vertiginosamente os preços, ao invés de renovarem o estoque. (De fato, aí vai um segredinho do mercado textil brasileiro: tecidos e afins aqui são muito caros e variam muito de acordo com o país de origem. Pouca coisa é feita com matéria prima nacional, o que encarece à beça a produção e afeta também a qualidade). Mas, mesmo assim, temos empresas inteligentes buscando soluções inteligentes, que tem conseguido ganhar um público consumidor cada vez mais exigente! (Vale até um jingle, né?)

Eu estou otimista! Sabe por que? Outro dia, uma cliente me disse que fará o enxoval do bebê nos EUA, mas que deixou para comprar as coisas diferenciadas na minha loja! Ou seja, os produtos ecológicos, que são muito úteis no dia dia do bebê, e que não são made in China, estão aqui à disposição de quem quer uma lista diferente, com itens duráveis e sustentáveis! Essa cliente fez uma bela compra conosco, de itens importados da Europa e nacionais, que com certeza substituirão produtos mais caros e menos duráveis que são encontrados normalmente nas lojas daqui e também nos outlets lá.

Então, sem mais delongas, aqui exponho uma listinha alternativa, com sugestões que podem ser encontradas em lojas especializadas (inclusive na internet), para quem não quer gastar com a passagem para Miami ou para quem quer complementar o enxoval, com o plus de ser ecologicamente correta!

– Bodies de mangas curtas, ajustáveis, com botão na gola (muito importante para os recém-nascidos), de fibra orgânica. Compre de três tamanhos, incialmente: 0-3 meses; 3-6 meses; 6-9 meses. Normalmente os importados da Europa podem ser usados por mais tempo do que o indicado por que a modelagem lá é maior.

– Extensor de bodies. Verifique se o extensor tem botões do mesmo tamanho dos bodies comprados.

– Bodies de mangas compridas, ajustáveis, de fibra orgânica. Varie a quantidade e os tamanhos de acordo com a estação em que o bebê nascerá e a região onde vocês moram.

– Babadores com camada impermeável e estampa digital. A estampa digital não solta resíduos e não desbota com facilidade. O ideal é que eles tenham duas opções de ajuste nos botões, pelo menos.

– Saco de dormir, de algodão orgânico. Compre um sem mangas e um com mangas, para dias mais ou menos frios. Eles economizam as mantas quentes que depois de um mês serão certamente inutilizadas.

– Tapa fraldas impermeáveis (de PUL). Eles são super úteis para quem quer adotar as fraldas de pano, mas também para evitar o vazamento das descartáveis, especialmente de noite, quando os acidentes acontecem. E de dia, substituem os shortinhos ou tapa fraldas de pano.

– Kit start Fraldas Ecológicas. Esse é para quem quer experimentar as fraldas de pano modernas. Sugiro que seja feita uma experiência gradual, intercalando com descartáveis. Há vários tipos. Para começar, escolha as que são ajustáveis desde os 3 quilos ou os tamanhos P. As importadas geralmente são mais duráveis.

– Sling de algodão (pode ter elastano). Também há várias opções de modelos, mas o ideal são os de tecido de algodão, leves, que não esquentam muito. Há os de algodão orgânico também. O wrap sling é o que se adapta melhor a tamanhos variados de bebês.

– Capa para amamentação. Esta é uma fronha para travesseiros comuns, que simula uma almofada para amamentação, pois tem um mini travesseiro e um cinto, ajustáveis, para encaixar o bebê. Ela substitui aquelas almofadas enormes, que depois de um tempo ficarão sem uso, e podem ser lavadas na máquina.

– Cadeirão Stokke. Esse cadeirão é de madeira ecológica, super ajustável, até a idade adulta. Pode ser usado com o babê conforto acoplado e tem garantia de 7 anos! No mercado europeu ele já existe há trinta anos. É tempo da gente substituir esses cadeirões de plástico que estragam rápido e ocupam o maior espaço, né?

– Gorros e meias são sempre úteis. Claro que depende também do clima onde vocês moram. Mas, esqueça os de tricot – a não ser que sejam feitos com carinho por alguma vovó ou titia – e só compre os de algodão, que duram muito mais, são laváveis à máquina e não acumulam ácaros.

– Chá pró amamentação. Nem precisa de comentários, né?

– Bolsa térmica natural. Geralmente de semente de cereja, ela pode ser esquentada no microondas ou no forno, e dispensa o uso de água. Boa para a gestante e para as sessões de cólica dos bebês.

– Kit de pente e escovinha com cerdas de algodão orgânico e de madeira ecológica.

– Essência cítrica biodegradável para lavar as roupas e fraldas. Tem propriedade antifungica e evita mal cheiros. Dentro do possível, escolha sempre produtos biodegradáveis. São melhores para a saúde e para o planeta.

– Paninhos de limpeza de algodão orgânico. Substituem os lenços umedecidos ou os panos de boca e as fraldinhas que usamos geralmente no dia dia para limpar o nariz a boquinha do bebê.

– Liners. São os forros biodegradáveis que estão chegando agora no mercado brasileiro e servem para forrar as fraldas de pano, ou até mesmo para fazer a limpeza do bumbum, com um pouquinho de água. São descartáveis no vaso sanitário e não possuem álcool, portanto não irritam a pele e não poluem!

– Protetores para seio laváveis, com camada stay dry. Esses protetores são muito úteis! Não deixe para comprar na última hora e acabar caindo no hábito de usar os descartáveis. Eles podem irritar o bico do seio e produzem um lixo desnecessário, né?

 

Carolina escreve no engajado What Mommy Needs, onde aborda pesquisas, livros, notícias e relatos sobre maternidade, mas com um foco diferente: o bem estar das mães enquanto mulheres, profissionais, filhas, irmãs, amigas…