7 Dicas para estimular as múltiplas inteligências do seu filho

7 Dicas para estimular as múltiplas inteligências do seu filho

Por: Maiza Bastos

Vamos começar do começo: desde nossos primeiros dias de vida, os estímulos que recebemos são assimilados pelo cérebro e vão construindo, assim, as nossas diversas inteligências. Bom ponto de partida para refletirmos sobre o aprendizado de nossos filhos – as diversas inteligências que podemos estimular.

Segundo o educador Gardner, existem diferentes tipos de inteligências que desenvolvemos em diferentes níveis ao longo de nossas vidas, tudo isso com base em características cognitivas e emocionais individuais e também como produto do meio onde vivemos.

Para entendermos melhor nossas crianças e podermos ajudá-las a ter experiências cada vez melhores em seu aprendizado, vale a pena conferir as competências intelectuais identificadas por Gardner. São elas:

 

Linguística – percepção aguçada de sons, ritmos e significados de palavras, bem como de funções da língua, facilitando o uso de linguagem de modo estratégico para convencer, agradar, estimular ou  transmitir ideias. Nas crianças, é possível perceber essa competência por meio da capacidade de contar histórias por elas criadas ou até mesmo na habilidade de contar com precisão experiências vividas.

Dica #1: Para estimular essa inteligência, desenvolva atividades como contação de histórias, produção de trechos de histórias iniciadas por colegas, transformação de um gênero para outro, por exemplo adaptar uma fábula para uma peça de teatro, trava-línguas, palavras-cruzadas.

Lógico-matemática – capacidade de perceber padrões, ordens e sistemas por meio de relações e categorias com a utilização de objetos e símbolos e desenvolvendo experimentos de modo analítico. Através dessa competência se desenvolvem raciocínios com objetivo de reconhecer e solucionar problemas. Nas crianças, podemos perceber tal inteligência quando elas têm uma facilidade especial com números, cálculos, noções práticas de raciocínio.

Dica #2: São estímulos jogos de raciocínio e estratégia como xadrez, dominó, cubo mágico, sudoku,  resolução de enigmas lógicos. Também brinquedos de desmontar e montar, bem como  encaixar peças.

Espacial/visual – sensibilidade para o mundo visual e espacial de um jeito preciso, com habilidade para lidar com formas e objetos mentalmente, gerando representações visuais ou espaciais de tensões, equilíbrio e composição a partir de percepções iniciais. Podemos identificá-la em crianças que têm facilidade com jogos como quebra-cabeça e que têm sensibilidade a detalhes visuais.

Dica #3: Brinquedos como lego de montar e encaixar, origami, tétris; atividades de desenho, como copiar objetos reais para o papel, esculpir materiais. organização dos próprios brinquedos em espaço determinado – todas essas atividades vão estimular tal inteligência.

Musical – capacidade de apreciar, compor ou reproduzir elementos musicais, diferenciando os sons distintos, percebendo temas musicais e ritmicos, bem como texturas e timbres. Uma criança que consegue distinguir os sons em seus ambientes e imitá-los com precisão, bem como cantar e produzir sons musicalmente é exemplo de inteligência musical.

Dica #4: Para estimular essa inteligência, trabalhe a construção de brinquedos musicais com materiais do dia-a-dia, como panelas, copos, lápis e tudo o mais, usando-os para desenvolver ritmos e melodias, imitar diferentes sons com a própria voz. Bem como brinquedos como Genius e até mesmo Guitar Hero ou Rock Band.

Cinestésica – habilidade para resolução de problemas ou criação por meio de partes do corpo ou do corpo todo. Capacidade de utilização da coordenação motora em esportes, teatro, artes plásticas, dança com domínio dos movimentos do corpo e destreza na manipulação de objetos. Em uma criança, essa inteligência se manifesta na grande expressividade corporal a partir de estímulos musicais ou verbais, bem como jeito para esportes e uma coordenação motora apurada.

Dica #5: Jogos como mímica, brincar de sério; atividades como cerâmica, dança, teatro e esportes em geral ajudam nessa inteligência.

Interpessoal – trata-se de uma sensibilidade acerca de desejos, motivações, temperamentos e humores de outras pessoas, percebendo intensões e vontades de modo a reagir apropriadamente a eles. Uma criança que demonstra habilidade em distinguir, reconhecer e identificar pessoas, bem como capacidade de liderança e sensibilidade de entender necessidades e sentimentos das outras crianças.

Dica #6: Pode-se trabalhar atividades de revesamento ou equipe, onde um tem que esperar e depende da atividade do outro para poder fazer a sua, como revezamento em natação, futebol. Ensinar algo a outra pessoa também é uma ótima tarefa, como ajudar alguém a corrigir os próprios deveres de casa.

Intrapessoal – essa competência é equivalente à anterior, no entanto, no âmbito do auto-conhecimento. É a capacidade de ter clareza dos próprios sentimentos, vontades, ideias, imagem, distinguindo-os e usando-os na solução de problemas pessoais. Tal inteligência se manifesta por meio de sistemas simbólicos de outras inteligências, seja linguísticas, musicais ou cinestéticas.

Dica #7: Para estimular seu filho nessa inteligência, é importante sempre mostrar que ele deve tentar entender as próprias vontades, questionar os próprios sentimentos, perceber suas reações, e tentar controlar, mas também saber não ter controle. Como essa inteligência é difícil de se perceber por ela mesma, utilize atividades como pedir que seu filho faça desenhos dele mesmo no presente, passado e futuro; que ele olhe fotos dele mesmo e tente lembrar porque estava com tal expressão na foto; peça que escolha músicas que combinem com o dia dele e com o que ele quer fazer; que escreva e desenhe coisas que combinem e /ou descrevam como se sente.

 

Assim como a inteligência intrapessoal se manifesta por meio de outras, todas as inteligências, apesar de serem desenvolvidas isoladamente, estão presentes em diferentes níveis em cada um de nós.

Observando seu filho e identificando para quais inteligências ele tem mais aptidão, você pode ajudá-lo oferecendo estímulos de forma que ele capte com mais facilidade e o ajude a produzir dentro daquilo que tem de melhor. Ofereça oportunidade para o desenvolvimento de outras inteligências, mas lembre-se que seu filho interage com o mundo e aprende com mais facilidade de algumas formas do que de outras.

É importante atentar para possíveis problemas ou distúrbios, como problemas de vista e dislexia. O segundo caso é pode ser complexo e pode comprometer todo o desenvolvimento de sue filho. No passado, lidar com tal distúrbio foi muito penoso, pois não se tinha ainda muitos recursos e os profissionais ainda eram despreparados, mas atualmente está se tornando mais fácil, pois há uma conscientização maior tanto por parte de professores como médicos. Alguns testes foram feitos inclusive trazendo uma possível solução, que são óculos com lentes pigmentadas especiais que sincronizam o processamento das imagens captadas pelos dois olhos, uma das causas da dislexia. Alguns sites disponibilizam informação sobre diferentes lentes para esses problemas.

Quanto aos problemas de vista, não esqueça de levar seu filho ao oftalmologista em caso de dor de cabeça e dificuldade nos estudos, para garantir que o problema não é esse. Caso seu filho tenha problemas em ir ao oftalmo, como acontece com crianças, mostrar imagens de crianças usando óculos infantis pode ajudar a tranquilizá-lo de que este caso é normal. Tentar fazer com que ele internalize os óculos como parte de sua auto-imagem pode ser importante para que ele não sofra com o seu problema de vista, ajude-o de um jeito legal e engraçado, como desenhando a família toda de óculos ou fazendo fotos de todos de óculos e colocando em porta-retratos em casa.

Identificar tudo isso vai ajudar inclusive no diálogo entre seu filho, você e os professores, uma vez que eles são parte crucial neste processo e desenvolvimento. Além do que, ajudará seu filho a desenvolver autoconhecimento de como ele aprende e se desenvolve melhor, tornando-o  sujeito ativo e independente no próprio aprendizado.

 

Para saber mais: Multiple Intelligences in the Classroom (em inglês)

*imagem: Stuart Miles/FreeDigitalPhotos.net

 

Maiza de Lavenère Bastos

De família gigante feita por músicos e artistas visuais.  A mãe é uma arquiteta/fotógrafa e o pai um músico/antropólogo maluco. Irmãos são muitos e cada um traçou seu caminho dentro das artes visuais e musicais, com uma pegada acadêmica. Para a oitava entre 10 filhos, seria impossível não considerar a família a parte crucial da sua formação.

Mestre em Linguística. Professora e tradutora de português e inglês por muitos anos. Estudante de violino, violão e canto por mais alguns. Um tanto nerd. Por essas influências,  sou apaixonada por pessoas, linguagem, artes e tecnologia. E é unindo essas paixões que desenvolvo meu trabalho.

Vivo em São Paulo e aqui tenho a oportunidade de atuar nas áreas de Marketing Digital, SEO, Branding e Mídias Sociais – grandes interesses e curiosidades. Com elas, vejo um campo em que é possível crescer e conhecer meios de alcançar as pessoas no que elas sentem e buscam, unindo linguagens e artes das mais diferentes para criar conceitos.