Por: Anelise Csapo
 
Quando eu contei pro meu filho que estava grávida novamente, depois de um gritinho alto de felicidade a primeira coisa que ele indagou foi:

- Mãeeeeeeee!!!!!!! Você transa?

Fiquei EU em choque! Boquiaberta!

- Claro que eu transo, Michel! As pessoas fazem isso ou porque gostam muito de alguém e querem se sentir o mais perto possível ou porque estão com vontade de transar e enfim, se for de comum acordo para ambas as partes é uma coisa muito gostosa de se fazer.

- Mas você só transou duas vezes na sua vida, né? Dessa vez e quando ficou grávida de mim...

- Não, meu filho! Eu já fiz isso muitas várias vezes. Algumas pessoas só transam para ter filhos, mas eu não considero essa a única razão para fazer sexo.

Tá vendo só? E eu toda me achando, bem crente que meu filhote já tinha sacado minha faceta mulher para além mar do espectro único da mãe e ó... tomei na cabeça!

Daí hoje meu namorado deu uma passadinha aqui em casa pra me ajudar a carregar uma mochila pesada e chegou bem na hora em que eu repassava a matéria de ciências pra ele e o amiguinho que veio dormir na área. Assim que tocou a campainha e o Michel (filho) viu que era o Rodrigo (namorado), falou assim pro amigo:

- Olha quem chegou! O cara que transou com a minha mãe!

HAHAHAHA!

Daí eu rebati na hora:

- Espera só até você ter uma namorada e ela chegar em casa e eu falar pra ela "olha só, então é você quem transa com meu filho?"

Só faltava essa, né? Tive que conversar com ele que quando a gente diz que duas pessoas namoram já subentende-se que elas transam, mas que não é só isso o que essas duas pessoas fazem juntas. Existem mil coisas outras tão maravilhosas quanto a se fazer com o (a) comparsa que só vivendo pra saber!

E eu espero que meus filhos vivam muito pra saber de suas próprias experiências transadas! Adoro gírias dos anos 80!

 

Post originalmente publicado em setembro/2009

 

Anelise é uma das autoras do blog Manhê... abaixa o som!, e é mãe de  Michel e Tiê.

 



Se você gostou desse post, não deixe de ler:

da licença bloguernidade, de como tudo começou (e uma ou outra fofoquinha) by Roberta on March 23rd, 2012

Profissão não regulamentada by Flavia on September 12th, 2013

A retomada, a soneca e a mãe que eu quero ser by Flavia on April 11th, 2014